Variância. A nossa melhor amiga.

Olá,

Hoje venho falar sobre variância. Não na perspectiva técnica da coisa, mas na simpatia que nutro por ela. E por quê ?

Muitos acham a que variância é uma palavra bonita que se criou para disfarçar o chamado “riggismo” ou, em português, a batotice que as salas exercem sobre os jogadores vencedores para que os perdedores sejam beneficiados e se mantenham em jogo.

Eu acho o contrário. A variância pode ser a nossa melhor amiga. É ela a responsável pelos maus jogadores também poderem ganhar e por se acharem suficientemente bons para continuarem em jogo. E quando esta se vira contra eles, podem sempre culpar a sala ou a falta de sorte como justificação para os seus maus resultados.

No curto prazo, ela é responsável por disfarçar lacunas graves no nosso jogo, por nos enganar sobre as nossas reais capacidades. Mesmo quando analisamos uma sessão e só olhamos para as jogadas em que perdemos, estamos a nos deixar enganar por esta “menina”. Pode ser nos potes vencedores que estejam os nossos erros. Erros esses disfarçados pelo resultado positivo obtido, mas que no longo prazo nos trará grandes dissabores.

Se soubermos viver com ela com a abordagem correcta, estaremos mais próximos de saber, na realidade, avaliar se estamos a bater este jogo no nível onde jogamos ou se estamos a ser “virtualmente” vencedores.

Se conhecermos melhor os nossos inimigos, poderemos vencê-los mais facilmente. Eu identifiquei esta potencial inimiga e convidei-a para ser a minha melhor amiga. 😉

Anúncios