Dose de Inspiração

Olá,

Hoje pretendo desejar que todos tenham sucesso em 2012. Para isso, devemos sempre pensar no que andamos a fazer. Onde podemos melhorar, aproveitando as nossas qualidades e tentando contrariar os nossos defeitos. Para vos motivar, nesta luta, deixo aqui um video muito bom. Já pratico algumas das ideias do Miguel Gonçalves, mas gostaria de as reforçar em 2012 e aproveitar outras para melhorar como pessoa.

Recomendo vivamente que reservem meia hora para assistirem a este video de uma só vez:


.
Esse ânimo, subiu em flecha ? Espero que sim. 🙂

Chega de lamentações… Bom ano !

Anúncios

Las Vegas

Pensei se deveria investir o dinheiro na viagem ou ficar com ele e abdicar dos 1.500$ do torneio. Decidi que devia ir, e aqui é que foi o ponto de “no turning back”. Fui (joguei o evento 52) e foi muiiiiito bom. Na viagem fui no avião com o Jomané, Caco e Pedro Barbosa. Já em Vegas conheci o Roberto Machado (costumava ler o blogue dele “Oversleep”), Diogo Borges, João Barbosa, Hugo Felix, Diogo Norte, Paulo Kinas, Fernando Festas que vivia o Live the Dream e o Tomé Moreira que foi o elemento com o qual mais me identifiquei e simpatizei.

Como estudei ante antes de ir, o meu jogo melhorou bastante apesar de no torneio ter sido um dos peixinhos da mesa pois eu não tinha qualquer experiência ao vivo (ainda hoje não tenho). Ao fim de duas horas, o meu Open Ended Straight Flush Draw no flop não bateu e fiquei super short. Quatro mãos à frente o BTN faz raise e eu vou all-in na SB com QQ. O problema é que a BB acorda com AA e acaba o torneio para mim. Nos dias seguintes ainda ganhei algum nas mesas de cash, mas não muito, porque o típico stake 1/2$ e 3/5$ era altíssimo para a minha banca (sim, já na altura fazia gestão de banca, e foi um dos principais factores para ter continuado sempre ganhador neste jogo). Andei por casinos mais manhosos para jogar 0,50/1$ e mesmo assim houve ali scared money envolvido. Tenho ideia de ter sido um Nit daqueles !!! 😉

Quando volto, continuo a jogar e o ano de 2008 continua a correr bem e acaba por ser o melhor ano de sempre para mim. 2009 também foi positivo e 2010 foi even. Apesar de sentir que o meu jogo melhorara cada vez mais, o que é facto é que os jogos estão muito mais difíceis mesmo nos níveis mais baixos. As escolas ajudaram a que o nível médio tivesse crescido muito.

Bem, voltando à parte familiar (à qual darei importância no meu blog) devem perceber agora o erro da minha mulher quando disse: Seja nisso ou em outra coisa, para mim é indiferente. Não era indiferente pois ela (e eu também) achava que o jogo a dinheiro com cartas e casinos à mistura era o caminho triste de alguns fracos sem cabeça, que lá perdiam as suas poupanças e/ou fortunas. Mas eu mudei a minha ideia sobre o assunto. Quanto mais estudo, mais acho que a componente competência é decisiva e que a componente sorte só ajuda a manter o jogo vivo pelos que jogam por divertimento e pela adrenalina da próxima carta completar a sua sequência interna, nem que para isso tenham de meter o dinheiro todo na mesa. Infelizmente a minha mulher segue o caminho inverso. Quanto mais lhe explico o jogo, mais ela acha que a componente sorte é que prevalece e fica com pior impressão sobre o Poker. Ela é uma mulher com muitas qualidades, mas os números e a capacidade de abstracção são duas coisas que não lhe assistem. É uma mulher muito prática (e eu também, mas eu consigo abstrair e teorizar, e ela não) pelo que se o Ás pode sair e derrotar-nos, ainda que só hajam mais três do que o do rival no baralho, estes podem sair, e é aí que está a sorte, diz ela. Eu lutei contra isto, mas sempre sem sucesso, e acabei por desistir. Ela não tem que saber jogar, nem perceber muito do assunto, mas eu gostaria de ter a compreensão e apoio dela. Compreensão vou tendo (com algumas caras feias pelo meio) mas apoio é que nunca, jamais, em tempo algum. 🙂 E, mesmo conhecendo-me bem, sempre sentiu o medo de eu me perder. Ainda que eu já lhe tenha dito centenas de vezes que:

“Isto se não for para ganhar, a mim não me interessa”.

E posso dizer que sou ganhador. Faço parte dos tais 15% ou 10% que ganham. Não é muito, é verdade, mas ganho e posso até dizer que de uma forma consistente. Os pontos fundamentais para este sucesso são:

– Gestão de Banca !

– Autodisciplina e Auto-controlo. Muito dificil de atingir, mas possível. Só recomendo a quem seja mais racional do que emocional.

– Gestão de Banca ! (sim, outra vez)

– Muito estudo.

– Debate com outros jogadores. Talvez a este aspecto não tenha dado tanto valor como devia até entrar no projecto EducaPoker.pt

Início no Poker

E lá comecei eu. Nos primeiros meses, já com o tal Curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores “no bolso”, andei um pouco às cabeçadas (infelizmente não havia a informação e escolas que há hoje) mas rapidamente fiquei fascinado com o desafio pois sempre fui muito interessado em matemática e este jogo tem uma forte componente nesta matéria. Lembro-me que já na altura existiam algumas ofertas de dinheiro real para jogar. A primeira que obtive foi na i4poker (penso que era da rede boss media). Os meus primeiros 5!!! Euros. Aquilo até durou mas acabou por ir todo. O Caco ia insistindo para eu me inscrever num tal fórum chamado pokerpt.com, mas eu não era grande adepto de fóruns (bem me arrependo pois deveria ter-me registado mais cedo). Assim chegou a bela Quarta-feira do dia 10 de Oct de 2007. Pelas 9:30 pm depois de o Caco insistir pela trigésima quarta vez, lá fui eu ver o que era aquilo. Na altura o Jomané dominava o fórum e respirava-se um ar muito saudável (como é hoje no fórum do EducaPoker.pt segundo as palavra do proprio 007, recente moderador do actual violento pokerpt). As minha evolução no jogo tornou-se mais rápida e significativa.

Depositei pela primeira (e última) vez do meu próprio dinheiro em Janeiro de 2008, 200€ na NoIQ que na altura dava uma coisa esquisita a que chamavam rakeback. Era giro receber umas massas de volta no final duma semana de jogo. Nem sabia muito bem como se faziam as contas e o que chegava era bem-vindo. Hoje não se fala noutra coisa e da luta feroz entre as salas para captar jogadores que querem sempre conseguir o melhor deal.

A coisa na NoIQ não correu bem e quando estava com cinquenta e tal euros, completamente em Tilt decidi retirar o que sobrava antes que fosse todo. Fiquei com uma sensação muito desagradável de que aquilo poderia mexer comigo e jurei a mim próprio que nunca mais depositaria. Semanas depois já estava a jogar na Mansion (na altura era da rede ongame mas eu ainda nem sabia o que era uma rede). Deram-me 5€ que eu transformei em mês e meio e meio em 250€. Naqueles tempos quem tinha um olho era rei !!! Mas depois comecei a perder. Quando cheguei aos 180€, pensei que estava na hora da grande decisão. Continuar ou levantar, e ter a GRANDE possibilidade de terminar de forma positiva e “vencedora” a minha aventura neste jogo. Optei pela segunda. Além de recuperar o dinheiro perdido na NOiQ ainda ficava com um saldo positivo de 30 e tal Euros. Brutal! Nota importante, todas as entradas e saídas neste jogo foram sempre contabilizadas numa simples folha de excel, pelo que sempre soube o que perdi e ganhei). Acho mesmo muito importante. Fundamental até porque quando ganhamos, por exemplo, 89€ neste jogo a sensação que temos é que ganhámos à volta de 100€. E quando perdemos 122€ a sensação é que perdemos à volta de 100€ pelo que neste pequeno exemplo estamos aparentemente “break-even”, mas fazendo facilmente as contas vemos que estamos longe da realidade.

Parecia que tinha acabado a minha aventura no Poker até que por volta do inicio da 2008 aparece novamente o Caco (qual fada madrinha) a oferecer 50$ na Everest. Tinha apenas de preencher aqui e carregar no link ali e voilá. 50$. Experimentei o Fixed Limit e não me dei nada mal. Além de acumular uma massas fiz pontos (falava-se pouco de rake na altura) suficientes numa race em que os melhores disputariam um MTT, no qual o vencedor ganhava uma viagem a Las Vegas, com entrada num dos eventos de 1.500$ das WSOP. Ainda tinha acesso ao lounge da Everest, Partys da Everest, etc. Um festival ! Foram 46 os jogadores portugueses que se conseguiram qualificar, e não é que ganhei aquilo?!

http://pokerpt.com/noticias/17-everest-poker/1471-entregue-o-pack-l-da-promocao-pokerpt-com-everest-poker-las-vegas.html

Tudo começa pelo princípio…

Dou inicio a este blog após o desafio lançado pelos colegas da escola de Poker EducaPoker.pt. Pensei sobre o assunto e avancei. Após alguma ponderação decidi tentar criar um blogue um pouco diferente dos tradicionais de jogadores de poker onde normalmente o ênfase está na colocação de graficos e stats e na divagação sobre assuntos de poker. Aqui o será na relação que tento equilibrar entre a vida de jogador e a vida de um pai de família. Penso que existirão muitos jogadores numa situação idêntica à minha e poderão identificar-se com elas, retirar ideias, motivações para o futuro. Estou disponível para novas ideias pois não sou propriamente dono da razão.

Tal como diz no título, começo por fazer um pequeno resumo de como tudo isto começou até estar aqui a escrever para vós:

Estávamos no final de 2006 quando eu ponderava “tirar” um Curso de Formação Inicial Pedagógica de Formadores. Como tenho a Licenciatura em Gestão Comercial, poderia vir a dar formação nesta área. Não sou propriamente uma pessoa extrovertida, que acho ser importante num professor, mas acreditava que poderia ultrapassar isso. Ora vai não vai e certo dia começa um curso no IESF e eu nem sequer estava inscrito. Nesse dia a minha mulher teve conhecimento e insistiu, insistiu e eu (a meia hora do instituto que administrava o curso), 10 minutos antes de começar a 1ª aula do primeiro dia, avancei sem pensar mais. Naquele dia, durante a viagem, pensava eu que ia para um curso que me levaria a ser um possível professor de marketing ou algo do género, e vejam só no que deu…

Entro eu na sala de aulas já depois da hora (ainda nem tinha feito a inscrição) e já estava a fazer a apresentação. Quem estava lá? O Sô Dotô Ricardo Pinto conhecido na comunidade como Caco. Ora aqui está o senhor que me trouxe para este mundo. Uma pequena curiosidade, o Caco, nesse preciso dia também começava uma longa jornada na sua vida amorosa da qual ainda não conhecemos o fim, mas esperamos que seja feliz para sempre.Umas semanas depois, no tradicional de jantar de Natal de turma (todas as turmas têm um), o Caco explicava em traços largos o que estava a surgir já há dois/três anos. O jogo chamava-se Texas Holdem Poker. Lá explicou aquilo em traços largos e fui para casa experimentar em play money num sala (que penso seria a Empire Poker da rede Party). Lembro-me perfeitamente de perguntar à minha mulher (já na altura):- Que dizes ? Achas que posso dedicar algum tempo a isto ?

Ao qual ela me respondeu:

– Tu estás muito tempo no computador. Seja nisso ou em outra coisa, para mim é indiferente (e aqui é que ela cometeu um erro fatal!). Nos próximos posts perceberão porquê…